Redução de tarifas proposta à TAAG

Victorino Joaquim | 6 de Fevereiro, 2016

Fotografia: Mota Ambrósio
Fotografia: Mota Ambrósio

A TAAG deve fazer uma correcção da sua política de preços para se adaptar às expectativas que a mobilidade turística impõe e deve deixar de ser uma empresa voltada só para um segmento do turismo de negócios, “um turismo que tinha uma volatilidade em obras de construção civil, que tinha a expressão do sector petrolífero muito encarnado na economia das empresas”,

aconselhou o director-geral do Instituto de Fomento Turístico de Angola (INFOTUR).Eugénio Clemente falou ontem à imprensa, em Luanda, no final de um encontro que manteve com os representantes do Serviço de Migração e Estrangeiros e os operadores do sector turístico e companhias aéreas, no sentido de se encontrar uma estratégia para se acelerar a expansão do turismo nacional. “Agora, com a redução do preço do barril de petróleo, há toda a necessidade de se abrir novos segmentos de negócio, para que o turismo possa garantir o desenvolvimento das empresas”, referiu.
O  director do Infotur garantiu que em função da sua capacidade de actuação, o turismo vai prevalecer na sociedade e na economia angolana. Por esse facto, disse, a TAAG desempenha um papel fundamental na promoção e expansão do turismo no país. “O turismo tem condições para contribuir para o desenvolvimento da economia, somos um sector que tem uma base de capacidade de exportação muito alta e o nosso país tem um inventário de dois mil e quinhentos recursos turísticos identificados”, informou.
A transportadora angolana de bandeira, TAAG, foi persuadida por Eugénio Clemente a contribuir para a promoção e expansão do turismo, acrescentando que “a TAAG precisa de ir ao encontro da estratégia nacional, para responder à expectativa que o país tem”.
A estratégia nacional procura atrair mais turistas ao país. Para tal, disse o director, a TAAG deve fazer um estudo de rota, uma análise criteriosa sobre os destinos ao nível das provinciais e incluir as províncias de Benguela, Namibe e Huíla com voos em horário que facilite a vida do cidadão, que muitas vezes tem necessidade, depois de uma jornada de trabalho, de desfrutar de um fim de semana nessas localidades.
O administrador comercial da TAAG, William Boulter, já garantiu que a nova direcção da companhia de bandeira angolana vai colaborar com o INFOTUR. William Boulter assegurou que a nova direcção já tem feito um trabalho de fundo, analisando os preços todas as semanas. Mas, disse o administrador, “se houver necessidade de baixar os preços sem que haja prejuízos, a nova direcção pode baixar”.
O representante da Associação de Risotes e Hotéis de Angola, Alexandre Portugal, disse que o turismo pode ser uma das soluções para fazer face à crise económica e financeira que o país está a viver e apoiar o Executivo a encontrar soluções para o problema.
Alexandre Portugal enumerou algumas soluções para a promoção e expansão do turismo, que passam pela redução do preço do bilhete de viagem das transportadores angolanas e dos hotéis e uma melhoria na qualidade de todos os serviços prestados ao cliente.

Fonte: Jornal de Angola

Share This Post

Post Comment